Baseado no trabalho de Frederich Frobel, inventor do Jardim de Infancia, “Alfabetização Visual” parte do principio que as crianças não devem se distanciar totalmente do universo pré-linguistico quando entram em contato com o sistema fono-silábico da alfabetização escrita. Continuando a desenhar, os alunos mantem exercitando o hemisferio cerebral direito criando uma base abstrata para o conhecimento formal e aprendem uma “Gramatica da imagem”, empoderando a criança no entendimento do mundo imagético e midiático em que vivemos.