A alfabetização é um momento na vida da criança em que se introduz o pensamento simbólico das palavras e do sistema fono-silábico em detrimento desse mundo puramente visual infantil. Aliar a esse momento o desenvolvimento abstrato é fundamental para que se construa uma gramática própria para a imagem, expressão corporal e emotiva, combinando com a base de programação computacional e provendo ferramentas para que não se atrofie o hemisfério cerebral direito, atuando diretamente no equilíbrio das funções cognitivas da criança e capacitando-as a ter uma nova visão diante dos problemas atuais. Vislumbra-se assim uma série de questões particulares: busca de socialização, afirmação de gênero, equilíbrio emocional. Esses desafios colocados para a criança são interligados e convergem de forma crítica, e com maior intensidade para os jovens mais vulneráveis a situações de risco social. Assim, ampliar o acesso à educação de qualidade, democratizar o acesso à cultura e lazer, respeitando as particularidades da infância são – e serão – desafios não apenas de um governo, mas de toda a sociedade.

O Laboratório Cultural de Alfabetização Múltipla Escola Vidigal nasceu da certeza de que ações individuais multiplicadas e reunidas no futuro podem transformar o panorama social do nosso país, aumentando as possibilidades de inclusão social do jovem em um mundo repleto de imagens e tecnologia.

Buscamos atuar sobre as desigualdades sociais oferecendo, as crianças oriundas de comunidades de baixa renda, oportunidades de crescimento pessoal e profissional, tendo a arte e a tecnologia como eixos condutores.

Neste sentido, o Projeto Escola Vidigal – Laboratório Cultural de Alfabetização Múltipla é essencial por oferecer orientação abstrata e construção cidadã, preparando melhor a criança para a vida e contribuindo na inserção dos jovens num mundo repleto de imagens e tecnologia.

Serão oferecidas Oficinas de Alfabetização Múltipla a 60 jovens, com idade entre 4 e 7 anos, oriundos da comunidade do Vidigal, Zona sul da cidade do Rio de Janeiro.