A integração entre os aspectos sensíveis, afetivos, estéticos e cognitivos, assim como a promoção de integração e comunicação social, conferem um caráter significativo à linguagem musical. Além disso, a música uma das mais importantes formas de expressão humana, o que por si só justifica sua presença no contexto da educação de um modo geral e, principalmente, na educação infantil particularmente.
A música trabalha os hemisférios cerebrais, promovendo equilíbrio entre o pensar e o sentir, resgatando a “afinação” do indivíduo, de maneira coerente com seu diapasão interno. A melodia trabalha o emocional; a harmonia, o racional e a inteligência. A força organizadora do ritmo provoca respostas motoras, que, através da pulsação dá suporte para a improvisação de movimentos, para a expressão corporal.
Portanto, a música é sempre abordada como uma rica experiência que promove o desejo de expressão em ritmo e melodia, algo que a criança pode sentir com seu corpo.. Nesta experiência rítmica as técnicas evoluem tão rapidamente quanto a concepção musical da criança se desenvolve.